Arquivo do mês: setembro 2009

O meu “Dia Mundial Sem Carro”

dia mundial sem carro

O meu dia mundial sem carro foi exatamente como diz o próprio nome: sem carro! Eu contribuí para a causa e não usei o carro para me locomover por nenhum local da minha cidade. E sabe por que? Porque eu não tinha nenhum lugar para ir, oras bolas! E, por isso, não usei o carro para nada.

Até porque, a bem da verdade, eu estava cagando pra esse tal de dia sem carro. Quem inventou essa merda? Que porra é essa? Não quero nem saber quem inventou essa porcaria, porque eu seria capaz de pular no pescoço desse desocupado.

O que me irritou nesse dia foi o que sempre me irrita todos os dias: as pessoas. Eu precisei descer de manhã para comprar pão para a patroa. E tem sempre aquele pessoal simpático, bem humorado, que tem o péssimo costume de cumprimentar as pessoas e puxar papo. E foi um desse tipo de pessoa que puxou papo comigo: o “Bigode”, que é o chapeiro da padaria.

– “Bom dia,  seu Walmor! Vai trabalhar como hoje?”.

– “Eu não vou trabalhar, eu sou aposentado”.

– “Ah, tá, porque já sabe, né? Hoje é o dia sem carro.”

E eu, já indignado:

– “Dia sem carro, como assim?”

E o mané do “Bigode” no balcão:

– “Hoje é um dia que tá todo mundo deixando o carro em casa. Hoje o pessoal tá indo de ônibus, a pé, de metrô. No mundo todo”.

Foi mais ou menos isso que rolou na nossa conversa na padaria de manhã.

Agora espera aí, deixa eu ver se eu entendi: quer dizer que nesse dia de ontem as pessoas trocaram seus carros por outros meios de transporte? Mas se elas fizeram isso ontem, por que não fazem nos outros dias? POR QUE? ME FALEM AGORA! POR QUÊ? Mas é uma palhaçada mesmo, viu?! Quanta hipocrisia!

Eu acho que tinham que lançar vários outros desses dias. O Dia Mundial sem pessoas chatas! O Dia Mundial sem música ruim! O Dia Mundial sem Adolescentes Aborrecentes! O Dia Mundial sem Emos!!! Já pensou que maravilha, o dia mundial sem emos? E o Dia Mundial sem programas ruins na televisão? Podia ser todos os dias. E pra generalizar de uma vez por todas, temos que ter o Dia Mundial sem Pessoas! Já pensou que bom? Um mundo sem pessoas será um mundo feliz. Eu tenho certeza disso.

Bom, eu pude perceber, enquanto minha mulher assistia aqueles programas de dona de casa à tarde, que esse era o assunto do dia. Não se falava em outra coisa. Mas, felizmente, esse dia passou. Acabou.

E agora chega de conversa que eu vou curtir o Dia Mundial Sem Carro. Espera aí, mas esse dia foi ontem. Pois é, mas pra mim é hoje também. E amanhã também. E depois de amanhã. Para mim, é todo dia. Carro é só para quem sai de casa. O que não é o meu caso. Aliás, bem lembrado. Eu precisava esquentar um pouco o motor do meu Karmann-Ghia velho. Faz tempo que eu não ligo o danado e tiro da garagem. Não pode ficar tanto tempo assim. Inclusive, olha aí a foto mais recente que eu tirei dele. Acho que foi em 73.

karmann_ghia

5 Comentários

Arquivado em Texto

Vivendo e aprendendo

Por mais que eu seja um velho e que já vi quase tudo nessa vida, eu sei que eu não sei tudo. E sempre aparece uma bizarrice nova para me surpreender, me revoltar e, muitas vezes, por que não, me entreter.

Digo isso porque conheci recentemente algo que eu não conhecia e que eu achei uma grande besteira, mas uma grande besteira divertida.  Trata-se do HAIKAI.

Mas aí você me pergunta: o que é Haikai?  De acordo com a minha empoeirada enciclopédia Barsa, Haikai é um tipo de poesia de origem japonesa que valoriza a concisão e a objetividade. Deve ter 3 linhas. Tem algumas outras regras, e seu formato varia um pouco do Japão para o Brasil.

Um dos estilos de Haikai adotados por aqui determina que a terceira linha rime com a primeira. Olha só um exemplo do Haikai brasileiro:

primeira folha de outono
no chão começa
o meio do ano
”  – Alice Ruiz

Outros Haikais não precisam nem de rimas. Veja só:

Dia de Finados
Formigas carregam
Pétalas que caem
” – Jorge Lescano

Nessa minha pesquisa sobre esse assunto, descobri que o Haikai é um enorme sucesso e um dos motivos é o seguinte: qualquer pessoa pode fazer um Haikai. Ele pode fazer aflorar o poeta que você nem sabia que existia em você. É por isso então que lanço, a partir de hoje, o Haikai do Walmor – Para o seu dia ficar muito mais rabugento. Vamos lá então a algumas das minhas primeiras criações. E espero sempre que possível postar mais algumas por aqui:

HAIKAIS DO WALMOR – PARA O SEU DIA FICAR MUITO MAIS RABUGENTO

Ar poluído
São Paulo é caos
Buzina no ouvido

Mais um:

Banco lotado
Problema é seu
Sou aposentado

E mais um então. Agora sem rima:

Pessoas nas ruas
Pra mim tanto faz
Queimem no inferno

Olha só! Gostei desse negócio de Haikai. Acho que ele despertou a veia poética que existe dentro de mim. Vou praticar mais. E se você quiser, escreva seu Haikai aqui também. Pode ser até pra me xingar. Pra mim tanto faz, afinal de contas:

Pessoas chatas
Escrevem em blogs
Caguei pra todas elas

2 Comentários

Arquivado em Texto

O sonho acabou…

sonho

Pois é. Antes fosse o sonho da padaria. Mas o que acabou mesmo foi esse período incrível de férias em Acapulco. Apesar de eu ter uma boa aposentadoria, não dá pra eu ficar morando em um hotel, uma hora o dinheiro acaba.

Nesse período lá no México pude refletir o quanto não sinto a menor falta do meu país, o Brasil, e da minha cidade, São Paulo. Está tudo indo de mal a pior. Em todos os aspectos.

E nesse tempo, pude lembrar também o quanto eu não tenho de saco com o ser humano. Ô raça chata viu? Será que as pessoas não podiam ser como os animais? Não falam, não lêem, não escrevem, não me amolam. Vocês já repararam: os animais não fazem muita coisa. Praticamente só procuram por comida e dormem. Perfeito! E não abrem a boca pra falar besteira ou sentam para escrever amolações na internet.

Digo isso porque tem uns malas me amolando aqui no site, como vocês podem ver nos comentários dos tópicos sobre o Michael Jackson e no tópico “É legal ser chato ou é chato ser legal”. Vão pentear macaco, seus malas! Aliás, boa ideia!!! Acho que vou pentear macaco também. Adoro os símios!! Eles são os humanos sem as partes chatas!! Perfeito!

macaco

Ah, e antes que eu me esqueça: minha aposentadoria está mais polpuda ainda! Fui contratado pelo Site da Firma para ser colunista deles. Tem o link aqui na barra lateral do site. Estou escrevendo por lá a coluna “É a Maior Putaria do Brasil”, sobre tudo que acontece de errado e me emputece no Brasil. Lá, eu falo mais de um lado político e social. Aqui, no Diário de Um Rabugento, o lance é mais pessoal. Bom, e chega de conversa. Vou desfazer minhas malas da viagem e… vou pentear macaco que eu ganho mais.

2 Comentários

Arquivado em Texto