Tempo bom, não volta mais…

Que saudades daqueles velhos tempos.

Saudades daqueles tempos em que eu era um anônimo, que ninguém me pedia conselhos, e que esses malas do Site da Firma não me torravam a paciência pedindo para eu conceder uma entrevista pra eles.

Tenho saudades do passado. Saudades do tempo em que o Big Brother Brasil não existia. Aliás, nem a televisão existia. Era tão bom que fico até emocionado de lembrar.

Dizem que sou saudosista. E digo que sou mesmo. Sou saudosista porque eu cresci numa época muito melhor. Tive uma infância lúdica, cheia de diversão e de imaginação. Acho que aquela época ajudou a moldar muito do que sou hoje em dia. Lembro que eu era uma criança muito cheia de imaginação. Eu vivia viajando em meus pensamentos.

Não sei se isso tem algo a ver com os remédios que eu tomava naquela época. Mas isso não importa. De qualquer forma, achei na minha coleção de recortes de jornal algumas propagandas dos medicamentos que minha mão me dava todos os dias. Eram uma delícia. Um melhor que o outro. Eu me sentia muito bem. Eu me sentia bem demais. E agora eu pergunto: por que eles não são mais vendidos hoje em dia? Vamos lutar pra que esses remédios voltem pras pharmacias. Garanto que vocês não vão se arrepender.

Anúncios

4 Comentários

Arquivado em Texto

Olha eu aqui…

…mas não olha muito não que eu não gosto. O negócio é o seguinte, resolvi dar uma sumida do mapa porque esses caras que querem me entrevistar não estão me dando sossego. Por isso, não tenho nem entrado na internet.

Vocês acreditam que depois de eu negar várias vezes dar essa entrevista, os malas vieram me sugerir de dar a entrevista por MSN? O dia em que eu entrar num negócio desse de bate-papo instantâneo, vocês podem me internar que com certeza eu já estou louco.

Por isso tudo, não tenho atualizado essa joça  de site e nem mesmo aberto as dezenas de emails que recebo de malas leitores que nem você. Tenho feito apenas o que mais gosto de fazer: me isolar.

Os caras do Site da Firma já estão até cogitando a possibilidade de me pagar para dar essa entrevista. O que vocês acham, então, de em vez de encher meu saco, colocar a mão no bolso e fazer parte dessa vaquinha para me subornar e eu dar essa entrevista? Vocês topam? Como eu sei que vocês tem muito dinheiro sobrando, entrem lá no Site da Firma e combinem suas doações com eles. Façam essa boa ação. Vocês poderão ler uma entrevista incrível comigo e me deixarão ainda mais rico do que eu já sou. Não é perfeito?

2 Comentários

Arquivado em Texto

Esqueçam que eu existo!

Pelamordedeus!!! O que eu fiz para merecer isso? Por que as pessoas se importam tanto com a minha pessoa? Será que não dá para todos vocês simplesmente esquecerem que eu existo?

Não sou participante daquele reality show imbecil da Rede  Globo, mas vivo num eterno confinamento. Evito sair de casa pelo simples motivo de que não quero contato com as outras pessoas. Mas sempre tem alguém pra me amolar e encher meu saco que já está mais do que cheio há quase 70 anos.

Estou me referindo àqueles moleques malas do tal Site da Firma. Esse povo não tem mais o que fazer da vida? Uns meses atrás, me convidaram para ser colunista no site deles. Mandei um texto para eles mas jamais fui pago por isso. E como eu só faço as coisas por interesse, rompi relações profissionais e não escrevi mais para aquela joça. Mas agora, olhem só a cara de  pau desses moleques: eles querem fazer uma entrevista comigo!

Mas é claro que não vou dar entrevista nenhuma! Eu tenho mais o que fazer! Comecei ontem a engraxar a minha coleção de sapatos e isso tem tomado muito do meu tempo. Já falei que não vou dar essa entrevista, mas eles insistem. Eu pedi que me pagassem um cachê mas eles disseram que não tem como pagar nada pois estão mais duros que a minha bengala de marfim. Poxa vida, aí fica difícil.

Por isso, peço encarecidamente a vocês do Site da Firma: parem de me amolar! Não vou dar entrevista nenhuma.

E vocês, leitores malas? Concordam comigo? Se acham que eu tenho mais é que mandar esses porras sentarem no colo do capeta, digam pra mim. E se acharem que eu devo dar essa entrevista, digam também. Mas já estou avisando que sem dinheiro vai ser bem difícil de eu aceitar. Sou osso duro de roer. E não tenho paciência para essas coisas chatas de perguntas e respostas. Sem contar, é claro, que eu sei bem de uma coisa: Quem, por acaso, se interessaria em saber mais sobre a vida de um velho chato e rabugento como eu?

11 Comentários

Arquivado em Texto

Quanto mais eu rezo…

Era só o que me faltava! Eu crio um site em que disponibilizo toda a minha sabedoria e sagacidade sem cobrar um centavo, aturo um monte de gente enchendo meu saco no campo de comentários, e ainda tenho que ficar aguentando gente me cobrando que eu não atualizo o site?

Oras bolas! Desde quando eu tenho obrigação de atualizar essa joça constantemente? Eu atualizo quando eu quiser! Quando me der vontade! QUANDO EU QUISER!!!

Não sei se vocês sabem, mas eu tenho uma vida muito atarefada. Durante o dia, escuto meus vinis de música antiga enquanto passo espanador na minha biblioteca particular. À noite, escuto mais vinis de música antiga e tenho longas conversas com o meu papagaio. Ele só sabe falar aquelas frases que eu recomendei a vocês no post anterior e, por isso mesmo, nós temos algumas conversas divertidíssimas. Ah, sem contar o chazinho de camomila e os pistaches que eu consumo o dia inteiro. E sem esquecer também que grande parte do tempo eu passo implicando com a minha esposa. Coitada, como sofre essa mulher.

Enfim, como eu disse, eu tenho muita coisa pra fazer e, por isso, não é toda hora que eu posso parar pra escrever por aqui. Se bem que se alguém me pagasse pra fazer isso, acho que eu teria um pouco mais de ânimo pra atualizar essa porcaria. Já falei que não gosto de muitas coisas. Uma das poucas coisas que eu gosto na vida é dinheiro. Ô coisa boa!

Mas então, voltando pro assunto, olha só o que um mala escreveu no meu post anterior:

“Ei cara!
Atualize essa joça! Fazem 9 dias que vc não escreve nada novo…Foi levado pelas correntezas das enchentes e sentou no colo do capeta?!
Afff…..”
Rodrigo

Tem gente que não tem respeito mesmo! O cara me cobra e ainda manda um “afff…”

AFFF????

Affff vai ser o som de quando eu enfiar minha bengala no seu rabo! Seu moleque atrevido! Eu escrevo nessa joça quando eu quiser! Quando me der vontade! E se estiver achando ruim, sabe o que você faz? Quer saber mesmo?  VAI SENTAR NO COLO DO CAPETA!!!!!!!!  

5 Comentários

Arquivado em Texto

Penso, logo desisto

Nessa minha vida de ócio, isolamento e reflexão, tenho pensado muito a respeito de como posso divulgar ainda mais toda a minha sabedoria de vida. Sei que tenho uma missão na Terra, que é de salvar o ser humano da mediocridade de sua existência. Acho muito desolador ver como as pessoas não percebem que a vida não é bela, que bom humor e simpatia não levam a nada e que rir não é o melhor remédio. E foi por tudo isso que lancei essa joça de site.

Mas percebo que preciso ir além. Nem todo mundo é estúpido o suficiente para perder seu tempo na internet lendo textos em blogs. Muita gente ainda está livre desse vício e ocupa seu tempo em outras coisas. É por isso que venho cogitando seriamente a ideia de lançar alguns livros para passar adiante essa minha sabedoria de vida.

Ainda não sei que tipo de livro posso escrever, mas uma ideia que algum mala já me sugeriu foi a de fazer algo no estilo “Minutos de Sabedoria”. Nunca li essa porcaria, mas acredito que sejam frases de auto ajuda para as pessoas. Não sou muito bom de sentenças nesse estilo, mas vou compartilhar com vocês algumas frases que costumo dizer constantemente e que ficaria muito orgulhoso de ver outras pessoas dizerem também. Elas podem ser muito úteis no seu dia-a-dia. Por isso, leia essas frases e passe a dize-las também:

“E eu com isso?”

“Quem perguntou?”

“Foda-se”

“Não se mete comigo”

“Não me procure”

“Não me ligue”

“Vai ver se eu estou na esquina”

“Vai pentear macaco”

“Não me amole”

“Esquece que eu existo”

E em homenagem ao meu amigo e ídolo Alborghetti (descanse em paz, irmão), uma cébre frase que serve pra muitas ocasiões e deve ser sempre gritada:

“VAI SENTAR NO COLO DO CAPETA!!!!”

Leia essas frases. Memorize. Diga. Pratique. Seja mais rabugento você também. Esse seu sorrisinho e simpatia não vão te levar a lugar algum.

10 Comentários

Arquivado em Texto

Corre Emo…

Vocês lembram dos Emos? Pois é, tive que andar pelas ruas esses dias, quando voltava das minhas incríveis férias (veja no post anterior), e constatei que essa espécie bizarra ainda existe.

Que decepção. Como pode? Pensei que estivessem extintos. Mas nem tudo está perdido. A meninada do Site da Firma (um bando de paga-pau da minha pessoa) me disse que fez até um clipe pra homenagear esses andróginos repugnantes. Trata-se do clipe “Funk do Emo Corre”, de um tal cantor Rodnei Di, que eu nunca ouvi falar. E o vídeo tem até uma tal de Sabrina Boing Boing dançando. Parece que é a mulher com o maior silicone do Brasil. Quanta futilidade. Aposto que a molecada vai adorar. Eles falaram que quando ficar pronto vão me mandar o link. Se bem que eu tô cagando, não tenho tempo pra ficar vendo clipe de música, nem na TV e nem na internet. Ainda mais com essas músicas pra jovens que, pra mim, não passam de lixo. Sei que não vou viver muito e por isso prefiro ocupar meu tempo com a leitura da Lista Telefônica e com os vídeos do Alborghetti no You Tube. Mas quem quiser ver, parece que já tem um vídeo de making of dessa joça de clipe do “Emo Corre” lá no Site da Firma.

Mas enfim, falando em Emos, lembrei que já escrevi algumas vezes sobre essas criaturas por aqui, e esse é um dos tópicos mais visitados aqui no meu site. Por isso, se você não teve o prazer de ler, segue aqui o link. Mas confesso que o mais legal são os comentários indignados dos Emos. Seus malas! Vão chorar no raio que os parta. E voltem logo pro clipe do Michael Jackson. Não aguento mais esses zumbis andando por aí.

Quer ver? Então clica aqui, porra!

2 Comentários

Arquivado em Texto

Melhor impossível…

Depois desse profundo período de depressão que passei em função da morte de meu amigo e ídolo Alborghetti, resolvi dar férias para mim mesmo. Na verdade, um aposentado abastado como eu está sempre de férias, mas eu resolvi mesmo foi tirar férias da civilização, me isolar ainda mais dos outros seres humanos, essa raça que tanto me irrita.

Por isso, descobri um lugar ótimo, tranquilo e realmente isolado de tudo e de todos.

Precisei ir hoje até a cidade mais próxima para comprar alguns mantimentos e aproveitei pra ir numa lan house pra pagar algumas contas. Por isso, estou escrevendo aqui neste momento. Vou passar mais alguns dias aqui isolado, mas depois voltarei para a suja e cinza São Paulo e voltarei a postar normalmente nessa joça. Por mim, eu não voltava mais, ficava morando aqui, mas os meus médicos ficam em São Paulo e é só lá que eu encontro as dezenas de remédios que preciso tomar diariamente.

Mas enfim, olhem só onde estou passando minhas férias. É ou não demais?

4 Comentários

Arquivado em Texto