Arquivo da tag: ano novo

Hoje é meu dia!!

Finalmente temos um dia que presta no ano!! Após essa baixaria generalizada que toma conta do país inteiro, também conhecida como carnaval, eis que chegamos à tão aguardada “Quarta-Feira de Cinzas”… Eu gosto desse dia, afinal, pra mim, a vida é cinza. O mundo é cinza, o dia é cinza e até o céu é cinza.

Ah, minha mulher está me falando que esse dia não tem nada a ver com a cor cinza, mas sim com as cinzas dos mortos e alguma baboseira qualquer da fé cristã que não vou me dar ao trabalho de entender… Mas que se dane… Pra mim, esse dia simboliza a minha pessoa… E é por isso também que vivo em São Paulo, pois essa cidade é cinza… Cinza dos prédios, cinza da sujeira, cinza da poluição.

O cinza é a minha cor… Se bem que a maioria das minhar roupas são bege… Minha coleção de ternos xadrez é quase inteira bege… Acho que é uma cor que tem tudo a ver com a minha personalidade também.

Mas o que interessa é que, com a chegada da quarta-feira de cinzas, acaba aquela putaria generalizada de se adiar tudo pra “depois do carnaval”… Tudo que você precisa, tudo que você quer saber, só será resolvido depois do carnaval… É por isso que esse diacho de país não vai pra frente, pois, como diz o leitor Juan Piñeda, o ano só começa depois do carnaval.

Então tá!! O Carnaval acabou e que começe, então, o ano… E nada melhor que começar desse jeito, numa quarta-feira de cinzas!!

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Texto

A esperança no ano que começa

tim-maia

O sábio Tim Maia já dizia. Esse negócio de ano novo não existe. “Os macacos sabem por acaso que nós estamos em 1900 e bolinhas?”, disse uma vez o sábio e rechonchudo cantor. “Será que pra eles esse não é o ano 30 mil e alguma coisa?”, continuou em sua vã filosofia. Esse cara sabia das coisas. Tim Maia sabia das coisas. Cantava muito, era um puta de um ranzinza que reclamava do som o show inteiro e era muito inteligente.

Na verdade eu nem ligo muito pra essa história de contagem dos anos, se está certa ou não. Tanto faz. Estamos em 2009 e ponto. Beleza. Mas aí alguém vem com aquele papo que a virada do ano serve na verdade pra renovar as esperanças. Pra dividir nosso tempo e nossa vida em ciclos e, assim, termos esperança de que nesse novo ciclo as coisas irão melhorar. E todo mundo cai nessa. Sempre. Todo mundo acha que realmente no ano que começa a vida será melhor. Que passará a ganhar mais dinheiro. Que não terá problemas, nem de saúde nem no amor. Mas aí o ano passa e você que ele não foi tão bom quanto você sonhou que fosse. E aí você acha então que o ano que começa será melhor. Desta vez será melhor. E no fim continua assim. Sempre a mesma porcaria. Mas realmente. É um ciclo. Só que não tem nada de bom nesse ciclo. É o ciclo da vida média. Da vida medíocre. Do sonho de levar uma vida digna, ter uma família e uma casinha pra morar. Então tá. Fique aí, com suas esperanças e sonhos imbecis. Eu não perco tempo sonhando. Prefiro viver. E resmungar. E, pensando bem, enquanto você sonha com um mundo melhor, eu vou ouvir um vinilzão. Do Tim Maia. Esse sabia das coisas. “Alô Santiago, mais retorno! Mais grave! Mais agudo! Mais tudo!”. Tim Maia. Esse é o cara!

3 Comentários

Arquivado em Texto

As Promessas de Ano Novo

É patético. As pessoas esperam chegar o dia 31 de Dezembro para finalmente enganarem a si mesmas. A poucos minutos da virada, começam as promessas. “Esse ano eu vou parar de beber”. “Esse ano eu vou parar de fumar”. “Esse ano vou fazer regime”. Oras bolas!! Por que vocês não fazem uma promessa do tipo “esse ano vou parar de ser um imbecil”? Seria bem melhor. Já cansei de ouvir as pessoas falarem de suas promessas. Que nunca foram cumpridas.

A pessoa fala que vai parar de beber. Mas, é claro, “não resiste a uma cervejinha”. Fala que vai parar de fumar, mas depois fala que não consegue, que é muito difícil. E quanto ao regime? Bem, esse sempre é adiado pra semana que vem, que nunca chega. Por que, então, vocês enganam a si mesmos? E, principalmente, por que vocês me amolam com esse papinho furado?

Eu não tenho esse problema. Minha promessa de ano novo é sempre me tornar mais rabugento. Mais ranzinza. E isso eu consigo, com a maior facilidade. Já no seu caso, como você não consegue, sugiro algumas promessas que você pode fazer e talvez seja mais fácil de cumprir:

– Prometa que você não vai mais amolar o Walmor.
– Prometa que você não vai mais dirigir a palavra ao Walmor.
– Prometa que você não vai mais encher o saco do Walmor.
– Prometa que você não vai mais torrar a paciência do Walmor.

Se você fizer apenas uma dessas promessas e conseguir cumprir, garanto que a minha vida será muito mais feliz. Ah, e quanto a você… bem… que se dane. Se a sua vida vai mudar com isso ou não, isso é problema seu. A minha, eu sei, que vai mudar. E pra melhor. Isso eu posso prometer.

Deixe um comentário

Arquivado em Texto

Tudo de novo

Pois é. Então agora o ano começou pra valer. As folgas e férias coletivas acabaram e todo mundo volta a suas vidas normais. Eu bem que sonhei que vocês todos iam ficar pra sempre na praia e não iam me amolar, mas eu sei que isso é querer demais.

Então vamos agora pra mais um ano. Ano novo, as mesmas merdas… O mesmo trânsito, a mesma barulheira, vendedores de telemarketing me ligando de novo, vizinhos me amolando, amigos me ligando, as contas chegando e eu tendo que pagar, os dias passando, as datas comemorativas se repetindo… Tudo de novo… Mas que cargas d’água!! A vida precisa ser assim tão repetitiva? O ano mal começou e eu já sei quase tudo que vai acontecer nele. Sei que vou escrever constantemente nesse blog e sei que você vai visitá-lo para ler. Sei que você vai me achar um rabugento, mas as vezes vai rir de alguma coisa dessa minha vida peculiar. Sei também que meus dilemas existenciais vão continuar. Continuarei sim sendo esse mesmo rabugento, sem o menor pingo de paciência pra nada. Continuarei recusando convites pra sair, pra me divertir. Continuarei sendo esse bicho do mato suburbano. E vou continuar comendo meus pistaches na biblioteca com meu papagaio no ombro. Inclusive já sei que livro vou ler pra começar o ano. Um livro com as previsões de Nostradamus. Só ele pode me dizer se o dia que tanto espero está longe de chegar. Responda-me, ó Nostradamus! Será que ainda falta muito pro mundo acabar?

1 comentário

Arquivado em Texto

Já é ano novo?

Eu sempre tenho dificuldade pra saber quando é a virada do ano novo. Eu lembro que na escola a professora me ensinou que cada ano tem 365 dias e seis horas. Então, teoricamente a virada seria só as 6 da manhã. Mas e como ficaria no ano seguinte? Seria ao meio dia?  Que confusão!! Será que estamos mesmo em 2009 ou estamos ainda no ano 1800 e alguma coisa?

Mas aí, eu aprendi também que por causa dessas 6 horas a mais em cada ano, nós criamos o ano bissexto. Então não existe esse problema. Eliminamos essas 6 horas e a cada quatro anos deixamos o ano com um dia a mais. Ok… Chega então a hora da virada. Mas a virada do ano é sempre na época do horário de verão!! Então a virada de verdade foi às onze da noite ou será a uma da manhã? Que dúvida cruel!!

Mas enfim. Agora já é uma hora da tarde. Então acho que já é 2009. Ou não? Sei lá. De qualquer forma, é isso. Desejo a você um feliz ano novo. De preferência, bem longe de mim.

Deixe um comentário

Arquivado em Texto