Arquivo da tag: blog

Mil visitas ao site… E a falta do que fazer…

Pois é… E eis que o Diário de Um Rabugento chega às mil visitas… Em pouco mais de um mês de existência… E é nessas horas que eu penso: como as pessoas andam sem ter o que fazer.

Eu comecei a escrever nessa joça pra ocupar um pouco do meu tempo de jornalista aposentado. E é incrível como as pessoas se identificam com esses casos reais da minha vida de rabugento. Muita gente diz assim: “Poxa Walmor, eu gosto do que você diz porque, muitas vezes, já quis fazer a mesma coisa mas não tive coragem”. Ué? Não teve coragem? Por que? A partir de agora, não passe mais vontade. Tenha coragem! Fale em voz alta, brigue, discuta, dê escândalo e, principalmente, expresse suas idéias. O mundo moderno não dá vez para os bananas. Se você não falar o que você acha, ninguém vai saber. Se você falar baixinho, com medo, não vão te respeitar. Por isso, diga o que você pensa! E diga em alto e bom som!

Mas enfim. De volta ao começo. As 1000 visitas ao site. Eu sei que tem site que consegue muito mais que isso em apenas um dia. Mas ainda bem que isso não acontece no meu. Já pensou? Dezenas, centenas de internautas enchendo meu saco todos os dias? Não!! Os poucos que escrevem aqui já são o suficiente pra torrar minha paciência diariamente. Mas às vezes é pior. As pessoas vem falar comigo nas ruas! Então, escute, você, que está lendo isso. Não venha falar comigo na rua. E, principalmente, não me segure pelo braço. Já enfiei o guarda-chuva na cabeça de uns dois ou três que chegaram me cutucando ou me segurando pelo braço. Depois eles disseram que eram meus fãs. Mas pra mim tanto faz. Encostou em mim, leva guarda-chuvada. Por isso, pelo bem da sua saúde, mantenha comigo apenas o contato virtual. E, se possível, nem o virtual. Esqueça que eu existo. Como dizia o Tim Maia: o que eu quero é sossego.

Anúncios

3 Comentários

Arquivado em Texto

Um pouco mais sobre Walmor Salgado

Com o sucesso desse blog, muita gente quer saber mais sobre a personalidade de Walmor Salgado. Sobre quem é este peculiar rabugento que todo dia (menos de fim-de-semana) escreve algo aqui nesta página. Pois bem. Em breve colocarei uma foto minha neste site. O problema é que a última vez em que deixei me fotografarem foi nos anos 60, pois fui obrigado pra poder trabalhar no jornal Tribuna de Taquarituba, no interior do estado de São Paulo. Enfim, pra falar um pouco mais de mim, resolvi parodiar meu velho amigo Angeli (um ilustre rabugento) e fazer uma lista de algumas coisas que gosto e outras que não gosto. Mas isso é só o começo. Depois tem mais!

Não gosto
Gente
Pessoas
Seres-Humanos

Gosto
Paçoquinha de Amendoim

Não Gosto
Aglomerações
Multidões
Muvucas

Gosto
Cauby Peixoto

Não Gosto
Frio
Calor
Chuva

Gosto
Aquela música do Pelé: “ABC, ABC, Toda Criança Tem que Ler e Escrever…”

Deixe um comentário

Arquivado em Texto

A arte do apavoro

Pois é, inventei de entrar pra esse tal de blog e já fiquei, como diria meu ídolo Alborghetti, puto da cara. Pô, só agora que eu comecei é que me falaram que eu tenho que atualizar esse troço todo dia, senão as pessoas param de ler. Que saco. Blog é coisa de quem não tem o que fazer. Se bem que esse é o meu caso. Se eu tivesse o que fazer, não teria tempo pra escrever nessa joça. Mas aí você pensa: “mas o que esse cara chato faz da vida?”. Eu fico procurando coisas pra poder implicar. É só algum carro buzinar na frente da minha janela que eu já saio pra xingar. No ônibus ou no metrô, eu fico torcendo pra algum zé-mané ficar parado na frente da porta, só pra eu poder dar uma de estúpido: “ô, caralho, olha a passagem de gente, porra!!”… Já nos fins-de-semana, eu gosto mesmo é de apavorar a molecada que joga bola na frente da minha casa… Legaaaaaalllll… Como é legal dar um apavoro nas crianças… Mais uma vez, incorporo o Alborghetti e saio na janela já com sangue nos olhos e muito ódio no coração: “Puta que pariu!! Vocês vão ficar jogando essa porra dessa bola na porra do meu portão na porra de um domingo que foi feito pra descansar? Eu vou ter que arrancar o fígado de um filho-da-puta pra acabar com essa porra aqui na frente da minha casa!!”… E olha, funciona… A molecada vai jogar em outro lugar e eu fecho a janela bem mais calmo… Ahh, como é bom ser rabugento. E você, já apavorou alguma criança chata hoje?

1 comentário

Arquivado em Texto