Arquivo da tag: Gugu

2012? A gente nem chega até lá

Agora não se fala de outra coisa: esse tal filme 2012 e a história de que esse é o ano em que o mundo vai acabar. Falam até de previsões dos Maias, do Nostradamus e de outras evidências que mostram que o Apocalipse está chegando.

Pra começo de conversa, já disse isso aqui no site: o mundo não vai acabar. A humanidade vai acabar. O mundo vai continuar aí, rodando em volta de si mesmo e do Sol. Mas a raça humana vai pro buraco. Vai queimar no inferno. E pagar por tudo que tem feito ao planeta. E eu tenho certeza: um mundo sem gente será um mundo melhor.

Bom, mas a questão aqui é a seguinte. Por mais que as pessoas achem que tudo vai por água abaixo em 2012, eu tenho certeza que a gente nem chega até lá. Sério mesmo. Do jeito que as coisas estão indo, o mundo não vai durar mais 3 anos. Pegue um carro e se dirija até a Marginal Tietê em São Paulo. Você vai ver que, na verdade, o mundo já acabou, mas esqueceram de divulgar.

Pegue também o seu carnê do IPTU. Aqui em São Paulo, esse imposto vai aumentar cerca de 90% no ano que vem. Mas se cair uma chuvinha qualquer, sua casa vai alagar, sua rua, tudo vai alagar. E a Prefeitura não vai fazer nada. Ou seja, é o fim do mundo!

Tente passar um longo período nas grandes metrópoles do país sem ser assaltado ou sem presenciar alguma violência. Duvido que você consiga.

E, principalmente, tente assistir televisão! Mas tente mesmo! E não vale TV a Cabo. Passe pelos canais abertos, que são os que tomam a vida da maioria do povo. Seu dia já começa com a Ana Maria Braga, que parece ter saído do clipe Thriller do Michael Jackson. Depois tem as fofocas da Mama Bruschetta, as receitas da Palmirinha e a Claudete Troiano. À noite, se você quiser ver um jogo de futebol, tem que escolher entre Galvão Bueno e Luciano do Valle. Mais tarde, tem o “grande” Jô Soares, com seu ego maior que sua enorme barriga. Chegando no fim de semana, temos o Luciano Huck e toda a sua nariguda simpatia. Temos o Raul Gil, temos aquele programa chato pra cacete do Serginho Groissman e as tão aguardadas atrações dominicais. Tem pra todos os gostos: Gugu, Eliana, Silvio Santos, Faustão, Celso Portioli e muito mais. Ou seja, É O FIM DO MUNDO! É O FIM DA PICADA! É O APOCALIPSE NA TERRA!

O Mundo acabou e esqueceram de te avisar! O Mundo acabou e esqueceram de me avisar também. Mas eu já percebi. Nada disso existe. É tudo fruto da nossa imaginação. Somos apenas almas penadas queimando no inferno, enquanto achamos que somos seres vivos que vivemos num planeta azul e que a vida “é bonita, é bonita e é bonita”.

Santa inocência…

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Texto

Essas redes sociais…

twitter

O mundo é tão cheio de moda que não dá tempo nem de uma passar e já aparece outra que chega com tudo. E agora é esse tal de twitter.

Tiwter, pra mim, é aquela banda do menino de cabelo espetado que foi preso vendendo droga na balada. Passei muitos sábados assistindo o Viva a Noite em que eles cantavam: “Meu amor, nosso amor, tá 40 graus de febre…”… Ah, não era Twitter, minha mulher tá falando… Era Twister… Desculpe-me… Ah, e você não acredita que eu assistia o Gugu?? Eu assistia sim… Queria sempre ver a abertura pra rachar o bico com a dança do Passarinho… Depois de tomar o meu chá-calmante é o maior barato assistir a essas bizarrices.

Bom, mas voltando ao assunto do começo, esse tal de Twitter. Foi até capa de revista famosa nesse final de semana. E eu resolvi então ver do que se trata.

Meu Deus do Céu!!! É pior que o Orkut!! É um negócio que mais ou menos junta blog, msn e orkut ao mesmo tempo. Você adiciona as pessoas que você quer seguir e as outras pessoas também adicionam se querem te seguir ou não. E aí, tudo que você escreve nesse Twitter aparece pra quem te segue. E o que as outras pessoas escrevem aparece pra você. Um verdadeiro caos.

Eu tenho aversão, ojeriza, pânico total a essas redes sociais. Gente me seguindo? Eu seguindo os outros? Só se eu já estiver na camisa-de-força. Nem email eu uso. Não quero ninguém entrando em contato comigo. Tem cada mala no mundo que eu prefiro evitar. Só não evito algumas pessoas fundamentais pra minha vida. Como o vendedor desse meu chá-calmante. Não vivo sem ele. E tem também minha mulher e meu papagaio, que eu não tenho como evitar porque eles moram aqui. E tem também o….. ué, não tem mais ninguém. É isso aí, não quero ninguém mais entrando em contato comigo. Não quero saber de rede social nem na vida real e nem na virtual. E quanto ao Twitter?? Eu quero mais é que ele vá se lascar, sitezinho de merda!

Deixe um comentário

Arquivado em Texto

TV Walmor Salgado

Dizem que de boa intenção o inferno está cheio. E acho que é pra lá mesmo que devem ir todos esses famosos da televisão… Agora ficam fazendo cara de choro pra pedir a sua doação pras vítimas da chuva em Santa Catarina… E eles? E o Datena? E a Sônia Abrão? E aquele casal plastificado William Bonner e Fátima Bernardes? Já colocaram a mão no bolso pra ajudar? Duvido… É incrível como a mídia sabe comercializar a tragédia e a desgraça alheia… É por isso que meu sonho, quando entrei pra faculdade de comunicação 50 anos atrás, era ser o dono da televisão. O dono disso tudo. Garanto que seria bem melhor.. E se isso acontecesse, a televisão hoje em dia seria mais ou menos assim:

– Domingão do Faustão: não seria mais domingão, seria Sabadão, Domingão, Segundão.. Na Rede Globo só passaria Faustão.. 24 horas por dia, 7 dias por semana… Desde que ele continuasse dando esporros em sua equipe e continuasse reclamando de tudo o tempo todo… Eu iria ficar assistindo da minha sala de chefão e ligando pra ele toda hora: “isso mesmo, meu menino.. xinga mesmo… reclama desses incompetentes… humilha todo mundo no ar”… Que maravilha!!

– Programa Alborghetti – eu tiraria tudo do ar no SBT e só passaria Alborghetti… No lugar da bizarra menininha Marisa, ficaria o Alborghetti dando apavoro nas crianças pelo telefone logo de manhã:“Você quer número 1 ou número 2, porra!! Decide logo essa merda!! Mas eu preciso mesmo arrebentar a cara desses #$%¨que ficam ligando aqui no programa e não decidem logo”… Seria lindo… Maravilhoso…

No lugar do Gugu, um apresentador macho de verdade… Alborghetti e o seu Domingo Ilegal… Em vez de dar casas pros pobres, ele iria dar é cadeia pra esse bando de vagabundo que deveria estar atrás das grades, desde bandidos até políticos… Se bem que é quase tudo a mesma coisa, né? Eu ressuscitaria no SBT até os grandes programas do Silvio Santos, pra por o Alborghetti apresentando… No Show de Calouros, ficaria só o Alborghetti chamando os calouros e depois dando apavoro: “Você acha isso bom? Você acha mesmo que isso que você apresentou foi bom? Eu devia era te dar uma porretada pra ver se você aprende a fazer as coisas direito”… Imagina só quando ele apresentasse o número dos transformistas, que sempre iam no Show de Calouros.. O estado de revolta que o Alborghetti ia ficar: “Era só o que me faltava: homem que quer virar mulher… então corta essa merda fora! Já cortou? Não cortou ainda? Então vai embora do meu programa que pra mim você não é transformista coisa nenhuma, tu é uma baita de uma aberração que não apanhou o suficiente dos pais quando era criança pra virar homem de verdade”…

Já no Topa Tudo por Dinheiro, ele ia ficar falando pras tiazinhas da caravana de Mogi das Cruzes: “Você quer dinheiro? Quer dinheiro mesmo? Então vai trabalhar, porra! Tá pensando que a vida é fácil? Era só o que faltava agora eu ficar fazendo aviãozinho de dinheiro pra jogar pra essas velhas desocupadas”… E a Porta da Esperança? Imagina o Alborghetti falando praquele tiozinho desdentado que sonha com uma cadeira de rodas para a mãe: “Você acha que alguém vai te ajudar? Você acha mesmo que alguém nessa porra de país vai estender a mão pra você? Os ricos querem mais é que você se dane. Querem que os pobres continuem pobres, pra não competirem com eles? Você tá com esperança mesmo de ganhar? Sinto muito meu filho, você está no Brasil, você não vai ganhar porra nenhuma e te garanto que as coisas só tendem a piorar pra você”…

Pois é, Brasil… País de povo solidário… Pelo menos é o que os apresentadores tem falado direto esses dias na televisão… Pra mim é o país de um bando de $%%¨# que enchem meu saco o dia inteiro o tempo todo… No rádio, na tv, nas ruas, no senado, no congresso… Um bando de badernistas que no fundo só olham pro próprio umbigo e agora dão uma ajudinha qualquer pros necessitados achando que isso vai pagar os seus pecados e garantir um lugar no céu… Sabe o que eu espero pra todos vocês? Espero que um dia… Um belo dia… O Alborghetti apareça no seu caminho.

3 Comentários

Arquivado em Texto

Os Sete Dias da Semana – Odeio Todos

Apesar de eu ser um velho rabugento, eu gosto de algumas coisas. Por exemplo, do Garfield. Eu gosto do Garfield. Isso porque ele é mau-humorado. O mundo precisa de mais mau-humorados. Uma coisa legal do Garfield, é que ele odeia as segundas-feiras… Eu também odeio as segundas. Mas também odeio as terças, as quartas e todos os outros dias da semana… Aí chega o sábado. Que saco. Eu acordo tarde e quando resolvo dar uma volta, já é tarde demais. O comércio fecha meio-dia e não dá pra eu comprar nada que eu tinha me programado. Aí eu penso em ir no shopping, mas sei que vai estar lotado e que vai ser um saco procurar lugar pra estacionar o carro. E dentro do shopping vai estar cheio de gente. Eu odeio gente. Principalmente se estiver muito perto de mim. Sai pra lá… E no sábado à noite também não dá pra sair, porque as ruas ficam cheias de garotinhos juvenis fazendo baderna, dirigindo alcoolizados, correndo no trânsito e pondo minha vida em perigo… Mas às vezes, alguns deles acabam levando enquadro da polícia… Aí eu me divirto… As molecadas levando aquela geral, e o policial perguntando:
– “Cadê o bagulho moleque?”
E os moleques se cagando todos:
– “Não seu guarda, não tem bagulho nenhum aqui”
– Seu guarda? Você me chamou de seu guarda? É senhor!! Me chama de senhor, porra!!

Ah, como eu gostaria de ser um polícia de vez em quando… Desses bem folgados… Só pra apavorar esses garotinhos juvenis criados a leite com pêra e ovomaltino. Principalmente os playboyzinhos que se acham malacos. Eu ia ficar só nos berros:
– “Eu vou ligar pra sua mãe, moleque!! Ela vai ter que te buscar no DP” – só pra ver os moleques chorando:
– “Não seu guarda, pelo amor de Deus, minha mãe não”
– Seu guarda? Você me chamou de seu guarda?..
Aí já viu né… Viva o Capitão Nascimento!

Ah, eu estava falando dos dias da semana. Odeio todos. Mas faltou o domingo. Existe dia pior que o domingo? Domingo é o dia que te avisa que o fim-de-semana está acabando. Domingo não tem nada aberto. Os parques ficam lotados (e pra piorar agora tem zona azul no Ibirapuera). E dependendo do lugar, você vai ter que deixar quinzão no estacionamento ou largar com um flanelinha filho da puta. Se eu pudesse, atropelava todos… E domingo também é cheio de motoristas barbeiros nas ruas. Todo mundo faz cagada no trânsito partindo do princípio que no domingo tudo é mais tranqüilo. Então o pessoal passa no vermelho, dirige falando no celular, dirige com cachorro no colo, ou com criança no colo, ou com criança e cachorro no colo. E tem gente que aproveita pra aprender a dirigir no domingo. Sai da minha frente, porra!! Que saco. E no domingo a televisão também é um saco. Gugu, Eliana… Mas pelo menos tem o Faustão. O que? Você não gosta do Faustão? Pô, o cara passa o programa inteiro reclamando, dando esporro na equipe, dando esporro no diretor. Isso é demais!! Pra mim a televisão seria muito melhor se todo os apresentadores só reclamassem, desses esporros. Chega de bom-mocismo, de sorrisinhos e boas mensagens. A gente precisava do Alborghetti o dia inteiro na TV. Já pensou, igual no SBT, em que o Silvio apresenta vários programas na seqüência, mas, em vez disso, o Alborghetti apresentando um show atrás do outro. Meu domingo seria bem melhor. Aliás, outro dia vi uma propaganda da revista Capricho na tv com uma tal campanha “Por um mundo mais Pink”… Porra: um mundo mais pink? Que merda é essa? A minha campanha é a seguinte: “Por uma televisão mais rabugenta! Por um mundo mais rabugento!” Sai pra lá bom humor, que hoje é quarta-feira e eu não estou pra brincadeira.

Deixe um comentário

Arquivado em Texto