Arquivo da tag: montanha

Chove chuva, chove sem parar…

cheia

Tem gente que fala que eu sou ranzinza demais, mas ninguém fala que eu tenho motivos de sobra pra isso.

E agora aqui em São Paulo está na fase das chuvas. Que chuvas! Aquelas chuvas! E aí alaga tudo. E é um caos danado. E as casas alagam. E os carros alagam. E as pessoas aparecem na televisão nadando em plena Anchieta. O que é isso minha gente??

O que é isso que está tudo errado. Tem esses governantes bananas que só se preocupam com seus próprios aumentos de salário. E tem o povo que insiste em jogar lixo na rua. Joga papel, joga sacolinha, joga garrafa. Joga até sofá! E é a mesma pessoa que vê a casa dela encher até o teto. Aí vem reclamar que alaga tudo. Sem contar que a gente vive num lugar com tanto concreto, com tanto asfalto, que a água não tem mais pra onde correr.

Da próxima vez que for jogar um sofá na rua, faz o seguinte. Coloca esse sofá na frente da sua casa. Aí ele pode servir de barricada pra segurar a água que vai entrar na próxima chuva. E se não chover, ele serve pro pessoal fazer uma social em plena calçada. Bater um papo, jogar um truco. Ou senão você dá um jeito de guardar esse sofá na sua casa. E se tiver mais lixo, empliha em cima do sofá. E aí, quando alagar tudo, você vai ter um lugar pra subir e fugir da água. E eu tenho uma dica do que você pode fazer com aquele estrado de cama e com as garrafas pet que você não recicla: junta os dois e faz um barco. Você resolve dois problemas de uma vez, o do lixo e o da enchente.

barco

No meu caso, pra evitar problemas com enchentes, eu simplesmente não saio de casa. Além disso, eu moro num prédio. Mas nessas horas que vejo a cidade num caos, faço minhas contas e vejo se já vou conseguir me mudar pro alto da montanha. Ainda não deu, mas essa hora vai chegar. E aí quando eu for pro alto da montanha, eu não vou ter telefone, não vou ter internet e nem campainha. Vou realizar o sonho de ser um ermitão. E não vou querer saber se vai chover, se vai alagar, se vai nevar. Vou ser simplesmente o homem mais feliz do mundo. Sem deixar, é claro, de ser um baita rabugento.

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Texto