Arquivo da tag: remédio

Alteradores de humor

Hoje vou falar da Fluoxetina. Tomei gosto por essa danada no começo dos anos 70. Depois de uma ressaca enorme de anos e mais anos à base do tabaco da moda dos anos 60 e de uns pedacinhos de papelão que me causavam umas visões psicodélicas, quando começou a outra década, resolvi mudar de remédio.

E conheci a tal da Fluoxetina. E descobri que ela me tirava da depressão. Que me deixava feliz, alegre, com cara de bobo, mesmo sem ter motivo algum pra realmente estar feliz.

Então eu resolvi matutar. Mas pra que eu preciso desse remédio? O que me deixa deprimido e puto da cara? É simples!! É claro!! As pessoas!!! São elas que deixam assim. O Ser Humano é o meu verdadeiro alterador de humor.

O que eu fiz então? Larguei as pessoas, é claro!!! Resolvi me isolar e cortar praticamente todas as relações com essa espécie chamada de Ser Humano. E foi o melhor que eu fiz pra mim mesmo!!

Ah, e quanto à Fluoxetina, eu continuo tomando, é claro! Dependendo do efeito que causa, eu adoro um alterador de humor.

Deixe um comentário

Arquivado em Texto

Tempo bom, não volta mais…

Que saudades daqueles velhos tempos.

Saudades daqueles tempos em que eu era um anônimo, que ninguém me pedia conselhos, e que esses malas do Site da Firma não me torravam a paciência pedindo para eu conceder uma entrevista pra eles.

Tenho saudades do passado. Saudades do tempo em que o Big Brother Brasil não existia. Aliás, nem a televisão existia. Era tão bom que fico até emocionado de lembrar.

Dizem que sou saudosista. E digo que sou mesmo. Sou saudosista porque eu cresci numa época muito melhor. Tive uma infância lúdica, cheia de diversão e de imaginação. Acho que aquela época ajudou a moldar muito do que sou hoje em dia. Lembro que eu era uma criança muito cheia de imaginação. Eu vivia viajando em meus pensamentos.

Não sei se isso tem algo a ver com os remédios que eu tomava naquela época. Mas isso não importa. De qualquer forma, achei na minha coleção de recortes de jornal algumas propagandas dos medicamentos que minha mão me dava todos os dias. Eram uma delícia. Um melhor que o outro. Eu me sentia muito bem. Eu me sentia bem demais. E agora eu pergunto: por que eles não são mais vendidos hoje em dia? Vamos lutar pra que esses remédios voltem pras pharmacias. Garanto que vocês não vão se arrepender.

4 Comentários

Arquivado em Texto