Arquivo da tag: walmor salgado

Um jeito Walmor de ser – O Estilo Foda-se

Apesar desse meu estilo, sempre rabugento, sempre mal humorado, é incrível como as pessoas admiram a minha pessoa. Digo isso pelo número de malas que me param nas ruas para pedir conselhos e pelo número cada vez maior de visitas a esse site.

Mas para ser um Walmor Salgado, não basta apenas querer. É preciso levar jeito. É preciso ter a essência da rabugisse. Mas não pense que isso é impossível. De jeito nenhum. Basta começar e tentar.

Pensando nisso, vou ensinar a partir de agora algumas técnicas. Uma de cada vez. E, nesse texto de hoje, é a hora de ensinar um dos fatores mais importantes do meu jeito de ser. Estou falando do “Estilo Foda-se”. E como diriam nas promoções em programas de televisão, isso é muito fácil, é muito simples! Vamos lá então.

Por exemplo: alguém chega pra você e diz:
– Hoje é Sexta-Feira, 13!
Você responde:
– Ah, é? Foda-se!

Aí outra pessoa vem pra você e diz:
– Caramba hein, o trânsito dessa cidade está cada vez pior.
O que você responde?
– É mesmo, né? Foda-se!

O Foda-se serve pra tudo. Pras mais diversas situações. Serve pra mostrar que você está cagando mole pras superstições das pessoas (como hoje, nessa sexta-feira 13), serve pra mostrar que você não se importa com o que os outros se importam, serve pra mostrar que você não está nem aí para que os outros acham e, principalmente, pra mostrar que você também é um baita de um rabugento mal humorado.

Pratique. Tente. Quando te dizerem alguma coisa que não te interessa, responda com um foda-se. Quando falarem algo sem a menor importância, você responde: foda-se. Comece a partir de agora. Você vai ver como sua vida vai ficar muito mais leve, muito mais fácil de ser tocada.

E aí, gostou dessa minha dica? Sim? Foda-se! Ah, não gostou? Foda-se!

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Texto

Bate-papo com Walmor

Pensando na curiosidade que as pessoas tem em relação à minha pessoa, resolvi publicar aqui uma entrevista que uns estudantes fizeram comigo para um trabalho de faculdade. Era um programinha meio “descontraído”, no estilo bate-papo, repórter moderninha e tal. E eu com meu mau humor que me é peculiar, sem dar um sorriso durante toda a entrevista. Aí vão alguns trechos.

Walmor, por que você resolveu ser jornalista?

R: Porque sim. Porque jornalista é uma raça chata do caralho. Ô gentinha chata. E irritante. E metida. E arrogante. Um bando de pé-no-saco. Me identifiquei com a profissão.

 

Você tem um sonho?

R: O fim da humanidade

 

Um hobby?

R: Pentear macaco

 

Uma cor?

Cor de burro quando foge

 

Música que você ouve quando está feliz?

R: Cauby Peixoto. Adoro. E canto junto.

 

Música que você ouve quando está triste?

R: Agnaldo Rayol. Pra me afundar de vez.

 

O que você acha da televisão hoje em dia?

R: Uma porcaria. Só gosto do Galvão Bueno e do Faustão. Esses meninos são legais.

 

Quem você levaria pra uma ilha deserta?

R: Ninguém.

 

Quer mandar um recado pros nossos telespectadores?

R: Não

 

 

E foi assim então a entrevista que dei pra esses estudantes imbecis. Sinceramente, perdi meu tempo. Mas só depois que eu pensei: o que eu fui fazer lá naquela faculdade? Acho que fui pra ajudar os outros.

Mas como assim? Ajudar os outros? Será que eu estava doente? Acho que naquele dia me esqueci de um provérbio muito inteligente que eu procuro seguir ao pé da letra: “Nunca ajude ninguém”.  

 

Um dia você ainda vai concordar com isso.

5 Comentários

Arquivado em Texto

São apenas números…

numeros

O mundo é tão cheio de baboseiras que eu já sou um candidato a habitar o planeta Marte quando isso for possível. No post anterior, falei sobre a grande besteira que é a risoterapia, e agora falarei sobre outra grande besteira: a numerologia!

 

Alguém inventou, algum dia, que as letras do seu nome representam números e que a soma desses números dizem tudo a respeito da sua personalidade, da sua vida e tudo o mais. Um imbecil desses chegou até a sugerir uma vez que eu mudasse meu nome de Walmor para Valmor, pois isso me traria muito sucesso e felicidade. E quem falou que eu quero essas coisas?? O que eu quero mesmo é dinheiro no bolso. Sucesso e felicidade eu deixo pros outros.

 

Hoje em dia, você pode até fazer a sua numerologia pela internet. E, para mostrar pra mim mesmo que isso é uma grande besteira, resolvi fazer a minha, passando o meu nome e minha data de nascimento. Vamos então ao resultado:

 

Dia de nascimento: 22

“Ponto forte: inteligência superior com finalidade universal, com projetos de grande importância para o bem da humanidade. Está destinado a ser líder. Inspira respeito, honestidade e sinceridade. Essas pessoas são sonhadoras que mantém os pés na terra, mas que, por serem diferentes, nem sempre são compreendidas.”

 

Olha só!! Eles acertaram algumas coisas, principalmente a inteligência superior e que estou destinado a ser líder e respeitado. Agora, falar que eu tenho “projetos de grande importância para o bem da humanidade”!! Vocês estão ficando loucos?? Eu quero que a humanidade exploda!! Que vá todo mundo pro raio que os parta!!

 

Sua alma: 06

“Compreensivo, pacificador, equilibrado, amigo, conselheiro. Valoriza o lar, a família e a comunidade.”

 

Sem comentários… Compreensivo, pacificador, equilibrado!! Esse não sou eu…

 

Desejo Instintivo: Letra A

“Interesse por idéias novas. Prazer em sentir-se diferente e defender seu ponto de vista mesmo que o mundo inteiro esteja contra. Não gosta de sentir-se dirigido e tem tendências a aceitar conselhos somente quando coincidirem com aquilo que acredita.”

 

Pois é, apesar de eu ser um baita de um teimoso, tenho que dar o braço a torcer. Até que eles falam algumas coisas coerentes. Mas, mesmo assim, continuo achando essa história de numerologia uma besteira. Eu gosto mesmo é do Walter Mercado!! Jamais resisti ao seu famoso “Ligue Djá”. Acabava sempre ligando e ouvindo sua “consulta espiritual”. Sem contar que o visual dele é totalmente demais!! Acho que vou cortar o cabelo assim…

 

walter_mercado

 

3 Comentários

Arquivado em Texto

Um pouco mais sobre Walmor Salgado

Com o sucesso desse blog, muita gente quer saber mais sobre a personalidade de Walmor Salgado. Sobre quem é este peculiar rabugento que todo dia (menos de fim-de-semana) escreve algo aqui nesta página. Pois bem. Em breve colocarei uma foto minha neste site. O problema é que a última vez em que deixei me fotografarem foi nos anos 60, pois fui obrigado pra poder trabalhar no jornal Tribuna de Taquarituba, no interior do estado de São Paulo. Enfim, pra falar um pouco mais de mim, resolvi parodiar meu velho amigo Angeli (um ilustre rabugento) e fazer uma lista de algumas coisas que gosto e outras que não gosto. Mas isso é só o começo. Depois tem mais!

Não gosto
Gente
Pessoas
Seres-Humanos

Gosto
Paçoquinha de Amendoim

Não Gosto
Aglomerações
Multidões
Muvucas

Gosto
Cauby Peixoto

Não Gosto
Frio
Calor
Chuva

Gosto
Aquela música do Pelé: “ABC, ABC, Toda Criança Tem que Ler e Escrever…”

Deixe um comentário

Arquivado em Texto