Arquivo do mês: julho 2009

Enquanto isso em Acapulco…

Aqui está tudo bem. Eu sabia que o México seria mesmo o melhor lugar pras minhas férias. Com esse surto da gripe suína, está todo mundo com medo de pisar por aqui. A cidade está vazia. E o hotel também. Não tem quase ninguém aqui no hotel do Chaves em Acapulco. E o pior é que mesmo assim eu consigo arrumar alguma confusão.

Primeiro eu encrenquei com o gerente. Não é possível que a TV a Cabo aqui não passa os jogos do meu Juventus da Moóca! Isso é preconceito com o Moleque Travesso! 

Também me irritei muito com os funcionários. Ninguém fala português! Só espanhol ou inglês! Que absurdo! Desculpem, mas eu me nego a forçar um portunhol pra falar com as pessoas! Então a comunicação está sendo bem difícil. Eu tenho que desenhar num papel o que eu quero ou fazer gestos. O pessoal pensa até que eu sou mudo. Mas não. Minha esposa acaba excplicando pra eles. Eu me nego a falar! Se você não fala a minha língua, me desculpe, eu não vou mudar meu jeito de falar pra você me compreender! Agora, imagina só a dificuldade de explicar que o meu drink deve ser de tal jeito e que é pra ser levado na beira da piscina. Mas o problema mesmo foi quando eu precisei pedir uma toalha extra! Complicado, viu!

E isso é só o começo… Vou lá na sauna agora e depois escrevo mais um pouco.

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Texto

Do jeito que o Diabo gosta…

acapulco

Ai, ai… Como é bom estar longe de todos vocês…

No momento estou de férias em Acapulco… Mais especificamente no “Hotel do Chaves”… Na verdade o hotel se chama Continental, mas é mais conhecido dessa maneira por ser o hotel onde eram gravados os episódios em que a turma do Chaves saía de férias… Eu tinha o sonho de conhecer esse hotel e finalmente estou realizando.

A internet aqui é meio cara pra usar mas de vez em quando em vou escrever alguma coisa por aqui… Se bem que eu quero mais é que vocês se danem, eu tenho mais o que fazer… Quer dizer, na verdade, não tenho nada pra fazer. Eu estou de férias, porra! Mas assim que tiver algo pra relatar, escreverei aqui nesse diário de um rabugento (sou eu mesmo).

E tem gente que tem medo de se aposentar… Isso é a maior maravilha do mundo… Quer dizer, desde que você seja um mão-de-vaca que nem eu e tenha economizado dinheiro durante toda a sua vida… E agora me dá licença… Vou tomar uma Cuba Libre pra começar bem o meu dia!

Deixe um comentário

Arquivado em Texto

Olha a gripe suína aí, gente!!!

gripe suina

Cuidado!!! O vírus está no ar!!! Depois de muita tentativa de controlar, a gripe suína finalmente começou a causar vítimas fatais no Brasil. O risco de contágio é muito grande. Você deve tomar cuidado. É isso mesmo. Eu disse você, porque eu… Bem… Eu não corro esse risco.

Eu tenho total noção de que não corro o risco de contrar a gripe do porco e te digo por que:

1) Dizem que muita gente pega essa gripe de mão pra mão… Cumprimenta alguém e depois passa a mão involuntariamente no nariz… Eu não corro esse risco… Primeiro porque eu não fico por aí dando a mão pra ninguém. E segundo porque quando vou colocar a mão no nariz, uso sempre meu lenço de pano, esse companheiro macio que segue comigo há anos e anos…

2) Dizem que o risco de pegar essa gripe é grande em locais com grandes aglomerações de pessoas. E o que eu ia fazer num lugar com aglomeração de gente? Era só o que me faltava. Se você me ver no meio de alguma aglomeração de gente, esfregue bem seus olhos ou troque de óculos. Pode ter certeza que esse alguém não sou eu.

3) Dependendo da situação de risco que a pessoa tenha passado, é preciso que ela entre num regime de quarentena. E eu te digo: jamais vou precisar entrar num regime de quarentena. Afinal de contas, eu já vivo nesse regime. Vivo uma quarentena eterna. Se por acaso for importante ficar isolado da civilização para não contrair essa gripe, pode ficar tranquilo: eu já estou fazendo a minha parte.

E por último:

4) Dizem que o risco de pegar essa gripe na Argentina é grande. E aí, de novo, eu pergunto: o que eu ia ter pra fazer na Argentina?? Eu já não gosto de falar com gente que fala a minha língua, imagina então falar com gente que fala tudo rápido e enrolado que nem eles? Nem morto. Eu quero mais é que a Argentina continue lá no lugar dela. Bem longe de mim.

Deixe um comentário

Arquivado em Texto

Tenham mais respeito! Oras bolas!

A lembrança que eu tenho do Michael Jackson é a dos Bailes Black dos anos 70 lá no Palmeiras. Eu caprichava na minha calça boca de sino, carregava no Gomex e ia lá ouvir um pouco de música de qualidade e ver a rapaziada dançar. E na hora do Jacksons Five, sempre rolavam coreografias.

Mas aí o tempo passou, os Jacksons 5 viraram The Jacksons, o menino vocalista seguiu carreira solo e aconteceu tudo isso que você já está cansado de saber. E eis que de repente o tal rei do pop inventa de morrer, acontece essa comoção toda, a mídia passa a insistir no assunto, um monte de gente discute isso e aquilo sobre ele e outro monte de gente diz que não aguenta mais ouvir falar em Michael Jackson. Mas nada disso me importa, nenhuma dessas coisas me irrita tanto quanto uma coisa, quanto um detalhe: As pessoas que tentam fazer o Moonwalk!

moonwalk

Como podem as pessoas se atreverem a fazer esse passo? Como podem os reles mortais imitarem a dança executada perfeitamente por MJ? Isso é um sacrilégio!

E o problema não é só imitar. O problema é que a grande maioria imita muito mal. E não existe coisa mais feia no mundo que um Moonwalk mal feito. Um Moonwalk mal feito é como um ganso bêbado andando em marcha ré. É tão ridículo que chega a ser constrangedor. Seja quando é feito de brincadeira ou seja quando a tentativa é séria, o Moonwalk não pode ser feito jamais. E a pessoa que faz um Moonwalk mal feito deveria ser banida da sociedade. Deveria ser enviada para algum local de isolamento no meio da selva ou ter que prestar serviços comunitários por um bom tempo. E ser proibida de fazer o Moonwalk para sempre!

O Moonwalk só podia ser feito por Michael Jackson. Somente ele sabia fazer perfeitamente o movimento de andar pra frente e pra trás ao mesmo tempo! E fazer o gritinho de “Au” no fim do movimento. Só ele. E por isso tudo, declaro que com a morte de Michael Jackson, morre também o Moonwalk.

E tenho dito.

6 Comentários

Arquivado em Texto

Amargura, amargura… Começou tudo de novo…

Dizem que a vida anda em ciclos. Que o tempo anda em ciclos e que as coisas acontecem em ciclos. E eu acho que isso é verdade. E é de ciclo em ciclo que todo ano chega essa temível época. Essa odiosa época. Essa degradante época. A época das férias escolares!

Quem não mora em prédio provavelmente não sabe o terror que é esse período do ano. O mês de julho é terrível! A criançada começa logo cedo a jogar bola na quadra, a gritar muito, a fazer a maior bagunça na piscina e – fazendo jus ao nome – a correr pelos corredores!!! Como essas crianças tem energia!! Que disposição!! Parece que o fim temporário do período de aulas desperta um sentimento de liberdade nessas crianças e ativa alguma região no cérebro para a perda total de noção da convivência social.

Para a parte do dia, desenvolvi algumas técnicas para sobreviver a esse martírio.  Simplesmente não saio de casa, pra não ter contato nenhuma com essa molecada. Pelo menos isso não é nenhum sacrifício pra mim. E passo o dia inteiro com o som no volume muito alto. Ouvindo meus vinis e cantando em alto e bom som. Ultimamente tenho ouvido muito Carlos Gardel!

Mas o problema é a parte da manhã. Não dá pra dormir com o som ligado e todas as manhãs essa criançada me acorda com seu ensurdecedor barulho matinal!!! A correria lá embaixo começa cedo!! Tentei até dormir com alguma coisa pra tampar os ouvidos. Mas isso ataca minha labirintite. E até agora nada funcionou. Algodão, tampão de silicone de natação, fone de ouvido… Nada. Já tentei até umas receitas caseiras, um mingau meio endurecido de farinha de trigo com água… Fiz a maior sujeira e ainda fiquei uma semana com farinha dentro do ouvido!! Se alguém tiver alguma sugestão, pode me falar.

Mas enfim. Não culpo essas crianças. Apesar de não ter o menor saco pra elas (nem bebê eu consigo achar “bonitnho”… acho um porre…) A culpa é dos pais! Esses acéfalos que dão uma sobrecarga de açúcar diariamente pro seus rebentos. Já começam com aquela tijela de leite com muito açúcar acompanhada de um sucrilhos que também tem muito açúcar. Pra acompanhar, um copo de leite – com muito açúcar – com toddy que também tem muito açúcar. E depois dá-lhe doces, refrigerantes e muito mais açúcar. Depois não sabem porque essas crianças pareçam estar em transe quando saem gritando e se esperneando que nem loucas. Elas estão em transe!! Oras bolas!! Elas estão ligadonas de tanto açúcar, de tanta energia!!! E a culpa é sim de vocês, seus acéfalos. Odeio todos. Todos os vizinhos, os pais e os filhos.

Por isso, conclamo todos a aderir à campanha: “Por um mundo melhor, por um mundo sem açúcar”. Afinal, a vida é amarga. E eu sou amargo também. E dá licença que, como diria o Raulzito, vou tomar meu café pra fumar. E vou ouvir mais um pouco de Gardel. Ah, e o café é sem açúcar, claro.

Deixe um comentário

Arquivado em Texto