Arquivo do mês: março 2009

Viva o Gordo?

ronaldo

Eu já vi de tudo nessa vida. Mas sempre aparece alguma coisa pra nos surpreender e nos provar que, na verdade, ninguém já viu de tudo nessa vida. E a moda, agora, é torcer por jogador de outro time. Como diz o Alborghetti: “É a maior putaria do Brasil!!”.

Eu estou falando do tal “Fenômeno”. Aquela rolha de poço que veio jogar no Curíntia. E agora tá um tal de ver palmeirense, são-paulino, perguntando de forma empolgada: “E o Ronaldo, fez gol??”. E o pessoal ainda tem a cara de pau de dizer que não torce pro Curíntia mas que torce pro Ronaldo.

Como assim?!?! Se você não torce pro Curíntia, não torce pro Ronaldo também. E ponto. Eu, por exemplo, torço pro Juventus da Moóca. E sou Juventus e pronto. Não tem essa de torcer pra time brasileiro na Libertadores, não tem essa de torcer pra jogador de outro time dar a volta por cima. E não tem nem essa história de dizer que em outro lugar torce pra outro time, tipo, uns que falam que no Rio torcem pro Flamengo, no sul torce pro Grêmio. Eu sou Juventus em qualquer lugar. E que se danem os outros times e que se dane o gordo do Ronaldo.

Se bem que um cara que leva três travestis pro Motel e diz que não percebeu que não eram mulheres realmente merece o apelido de Fenômeno. E, pra ele, só me resta presenciar seu fim de carreira. O cara já namorou belas modelos, já jogou no Milan, no Barcelona, e hoje em dia pega travecos e joga no Curíntia. É a típica decadência do ser humano.

E você, leitor, não me venha com essa história de torcer pelo Ronaldo. A não ser que você seja curintiano. No meu caso, eu quero mais é ver a decadência desse gordo. Obeso, rodeado de travecos e jogando no Curíntia. Tomara só que o fim dele não seja no meu Juventus. Mas se isso acontecer, aí sim vou torcer por ele. E não vou dar trégua. Vou pôr esse gordo pra suar a camisa do meu glorioso Moleque Travesso da Moóca.

Anúncios

3 Comentários

Arquivado em Texto

Bate-papo com Walmor

Pensando na curiosidade que as pessoas tem em relação à minha pessoa, resolvi publicar aqui uma entrevista que uns estudantes fizeram comigo para um trabalho de faculdade. Era um programinha meio “descontraído”, no estilo bate-papo, repórter moderninha e tal. E eu com meu mau humor que me é peculiar, sem dar um sorriso durante toda a entrevista. Aí vão alguns trechos.

Walmor, por que você resolveu ser jornalista?

R: Porque sim. Porque jornalista é uma raça chata do caralho. Ô gentinha chata. E irritante. E metida. E arrogante. Um bando de pé-no-saco. Me identifiquei com a profissão.

 

Você tem um sonho?

R: O fim da humanidade

 

Um hobby?

R: Pentear macaco

 

Uma cor?

Cor de burro quando foge

 

Música que você ouve quando está feliz?

R: Cauby Peixoto. Adoro. E canto junto.

 

Música que você ouve quando está triste?

R: Agnaldo Rayol. Pra me afundar de vez.

 

O que você acha da televisão hoje em dia?

R: Uma porcaria. Só gosto do Galvão Bueno e do Faustão. Esses meninos são legais.

 

Quem você levaria pra uma ilha deserta?

R: Ninguém.

 

Quer mandar um recado pros nossos telespectadores?

R: Não

 

 

E foi assim então a entrevista que dei pra esses estudantes imbecis. Sinceramente, perdi meu tempo. Mas só depois que eu pensei: o que eu fui fazer lá naquela faculdade? Acho que fui pra ajudar os outros.

Mas como assim? Ajudar os outros? Será que eu estava doente? Acho que naquele dia me esqueci de um provérbio muito inteligente que eu procuro seguir ao pé da letra: “Nunca ajude ninguém”.  

 

Um dia você ainda vai concordar com isso.

5 Comentários

Arquivado em Texto

O problema do mundo

Tem dias em que a gente começa a refletir um pouco e logo vê que o mundo anda mesmo uma porcaria. A natureza já foi tão devastada que hoje em dia faz calor no inverno, faz frio no verão e vira e mexe a água aparece – de cima ou baixo – arrasando quarteirão.

E tem lugar que nem tem mais muita natureza. Tipo as cidades grandes. É só asfalto. Não tem árvore, não tem sombra. Só tem fumaça. E tudo ferve como um inferno. O clima, os hormônios, os ânimos. E sabe porque acontece tudo isso?

Por causa do homem.

Nesses momentos de reflexão eu chegou facilmente à conclusão que o problema de tudo está no ser humano. Ô raça do cacete…  Nunca vi uma espécie pra ser formada por tantos seres burros. E imbecis. E malas. Um verdadeiro pé no saco.

Tem tanta gente imbecil no mundo que é até difícil de acreditar. A gente vê cada atitude por aí que dá vontade de sair esganando. E eu já lembro logo do Alborghetti. Ele não passaria vontade. Ia ser marretada na cabeça.

É por isso tudo que eu prego a idéia de um mundo melhor. Um mundo com cada vez menos gente.

Eu canso de ouvir as pessoas falarem que o mundo vai acabar. E eu sempre respondo: o mundo não vai acabar, o que vai acabar é a humanidade. O mundo vai continuar aí. A natureza se adapta a outras condições e depois passa varrendo tudo. E o planeta vai continuar sua vida. Girando e girando.

E aí teremos então um final feliz. Um mundo sem gente. Um mundo melhor.

mundo2

4 Comentários

Arquivado em Texto

Chove chuva, chove sem parar…

cheia

Tem gente que fala que eu sou ranzinza demais, mas ninguém fala que eu tenho motivos de sobra pra isso.

E agora aqui em São Paulo está na fase das chuvas. Que chuvas! Aquelas chuvas! E aí alaga tudo. E é um caos danado. E as casas alagam. E os carros alagam. E as pessoas aparecem na televisão nadando em plena Anchieta. O que é isso minha gente??

O que é isso que está tudo errado. Tem esses governantes bananas que só se preocupam com seus próprios aumentos de salário. E tem o povo que insiste em jogar lixo na rua. Joga papel, joga sacolinha, joga garrafa. Joga até sofá! E é a mesma pessoa que vê a casa dela encher até o teto. Aí vem reclamar que alaga tudo. Sem contar que a gente vive num lugar com tanto concreto, com tanto asfalto, que a água não tem mais pra onde correr.

Da próxima vez que for jogar um sofá na rua, faz o seguinte. Coloca esse sofá na frente da sua casa. Aí ele pode servir de barricada pra segurar a água que vai entrar na próxima chuva. E se não chover, ele serve pro pessoal fazer uma social em plena calçada. Bater um papo, jogar um truco. Ou senão você dá um jeito de guardar esse sofá na sua casa. E se tiver mais lixo, empliha em cima do sofá. E aí, quando alagar tudo, você vai ter um lugar pra subir e fugir da água. E eu tenho uma dica do que você pode fazer com aquele estrado de cama e com as garrafas pet que você não recicla: junta os dois e faz um barco. Você resolve dois problemas de uma vez, o do lixo e o da enchente.

barco

No meu caso, pra evitar problemas com enchentes, eu simplesmente não saio de casa. Além disso, eu moro num prédio. Mas nessas horas que vejo a cidade num caos, faço minhas contas e vejo se já vou conseguir me mudar pro alto da montanha. Ainda não deu, mas essa hora vai chegar. E aí quando eu for pro alto da montanha, eu não vou ter telefone, não vou ter internet e nem campainha. Vou realizar o sonho de ser um ermitão. E não vou querer saber se vai chover, se vai alagar, se vai nevar. Vou ser simplesmente o homem mais feliz do mundo. Sem deixar, é claro, de ser um baita rabugento.

1 comentário

Arquivado em Texto

Essas redes sociais…

twitter

O mundo é tão cheio de moda que não dá tempo nem de uma passar e já aparece outra que chega com tudo. E agora é esse tal de twitter.

Tiwter, pra mim, é aquela banda do menino de cabelo espetado que foi preso vendendo droga na balada. Passei muitos sábados assistindo o Viva a Noite em que eles cantavam: “Meu amor, nosso amor, tá 40 graus de febre…”… Ah, não era Twitter, minha mulher tá falando… Era Twister… Desculpe-me… Ah, e você não acredita que eu assistia o Gugu?? Eu assistia sim… Queria sempre ver a abertura pra rachar o bico com a dança do Passarinho… Depois de tomar o meu chá-calmante é o maior barato assistir a essas bizarrices.

Bom, mas voltando ao assunto do começo, esse tal de Twitter. Foi até capa de revista famosa nesse final de semana. E eu resolvi então ver do que se trata.

Meu Deus do Céu!!! É pior que o Orkut!! É um negócio que mais ou menos junta blog, msn e orkut ao mesmo tempo. Você adiciona as pessoas que você quer seguir e as outras pessoas também adicionam se querem te seguir ou não. E aí, tudo que você escreve nesse Twitter aparece pra quem te segue. E o que as outras pessoas escrevem aparece pra você. Um verdadeiro caos.

Eu tenho aversão, ojeriza, pânico total a essas redes sociais. Gente me seguindo? Eu seguindo os outros? Só se eu já estiver na camisa-de-força. Nem email eu uso. Não quero ninguém entrando em contato comigo. Tem cada mala no mundo que eu prefiro evitar. Só não evito algumas pessoas fundamentais pra minha vida. Como o vendedor desse meu chá-calmante. Não vivo sem ele. E tem também minha mulher e meu papagaio, que eu não tenho como evitar porque eles moram aqui. E tem também o….. ué, não tem mais ninguém. É isso aí, não quero ninguém mais entrando em contato comigo. Não quero saber de rede social nem na vida real e nem na virtual. E quanto ao Twitter?? Eu quero mais é que ele vá se lascar, sitezinho de merda!

Deixe um comentário

Arquivado em Texto

São apenas números…

numeros

O mundo é tão cheio de baboseiras que eu já sou um candidato a habitar o planeta Marte quando isso for possível. No post anterior, falei sobre a grande besteira que é a risoterapia, e agora falarei sobre outra grande besteira: a numerologia!

 

Alguém inventou, algum dia, que as letras do seu nome representam números e que a soma desses números dizem tudo a respeito da sua personalidade, da sua vida e tudo o mais. Um imbecil desses chegou até a sugerir uma vez que eu mudasse meu nome de Walmor para Valmor, pois isso me traria muito sucesso e felicidade. E quem falou que eu quero essas coisas?? O que eu quero mesmo é dinheiro no bolso. Sucesso e felicidade eu deixo pros outros.

 

Hoje em dia, você pode até fazer a sua numerologia pela internet. E, para mostrar pra mim mesmo que isso é uma grande besteira, resolvi fazer a minha, passando o meu nome e minha data de nascimento. Vamos então ao resultado:

 

Dia de nascimento: 22

“Ponto forte: inteligência superior com finalidade universal, com projetos de grande importância para o bem da humanidade. Está destinado a ser líder. Inspira respeito, honestidade e sinceridade. Essas pessoas são sonhadoras que mantém os pés na terra, mas que, por serem diferentes, nem sempre são compreendidas.”

 

Olha só!! Eles acertaram algumas coisas, principalmente a inteligência superior e que estou destinado a ser líder e respeitado. Agora, falar que eu tenho “projetos de grande importância para o bem da humanidade”!! Vocês estão ficando loucos?? Eu quero que a humanidade exploda!! Que vá todo mundo pro raio que os parta!!

 

Sua alma: 06

“Compreensivo, pacificador, equilibrado, amigo, conselheiro. Valoriza o lar, a família e a comunidade.”

 

Sem comentários… Compreensivo, pacificador, equilibrado!! Esse não sou eu…

 

Desejo Instintivo: Letra A

“Interesse por idéias novas. Prazer em sentir-se diferente e defender seu ponto de vista mesmo que o mundo inteiro esteja contra. Não gosta de sentir-se dirigido e tem tendências a aceitar conselhos somente quando coincidirem com aquilo que acredita.”

 

Pois é, apesar de eu ser um baita de um teimoso, tenho que dar o braço a torcer. Até que eles falam algumas coisas coerentes. Mas, mesmo assim, continuo achando essa história de numerologia uma besteira. Eu gosto mesmo é do Walter Mercado!! Jamais resisti ao seu famoso “Ligue Djá”. Acabava sempre ligando e ouvindo sua “consulta espiritual”. Sem contar que o visual dele é totalmente demais!! Acho que vou cortar o cabelo assim…

 

walter_mercado

 

3 Comentários

Arquivado em Texto

Tá rindo do que?

laughing-club

Hoje eu estou com raiva!! Hoje eu estou puto da cara!! Como pode uma coisa dessas? Eu não devia mais ler jornal!! Nunca mais!! É sempre assim, eu pego pra ler o jornal e tem sempre alguma notícia pra me deixar revoltado.

Mas não estou falando de notícias de violência e muito menos da roubalheira dos nossos políticos. O que me irrita são as besteiras que eu vejo, as invenções que de tempos em tempos aparecem por aí. Mas essa foi demais. Foi a gota d’água pra acabar com a minha paciência no dia de hoje. Era só o que me faltava. Eu vi no jornal que o grande lance do momento, agora, é a Risoterapia!!!!!

Risoterapia? Vocês só podem estar de brincadeira comigo. Eu vi no jornal. É verdade. As pessoas se reúnem e ficam rindo sem parar. Uma olhando pra cara da outra, numa roda, e todas dando risada. No começo, de forma forçada. Até que ela se torna natural e incontrolável. E eles dizem que faz bem pra saúde. Que rejuvenece, que evita doenças. Quanta baboseira.

Comecei a me imaginar numa sessão dessas. Não ia dar certo. Eu olhando pra cara de uma pessoa e dando risada. Jamais eu conseguiria. Já não gosto de rir de coisas engraçadas, quanto mais rir sem motivo algum.

Ah, e tem mais. Você tem que pagar pra fazer essa terapia. São 50 reais por sessão. Aí que eu não iria rir mesmo. No máximo, ia conseguir chorar. Porque além de mau-humorado, eu sou um baita de um sovina. Um avarento. Um autêntico mão-de-vaca. Mais um motivo pra eu passar bem longe dessa tal risoterapia.

Pois é. Quando eu acho que nada mais vai me surpreender, descubro uma besteira dessas. Mas acho que já sei o que vou fazer pra evitar essas coisas desagradáveis. Vou parar de ler jornal. Assim eu economizo um dinheirinho, não sujo meus dedos e não fico por dentro das “novidades” do mundo moderno. Depois, com o tempo, vou conseguir me libertar da internet. E, depois, do telefone. E, depois, da minha mulher. E também do resto da minha família e de todas as pessoas do mundo. Até o dia em que eu me tornar um verdadeiro ermitão. Aí sim terei motivos pra rir. Aí eu vou rir à toa. Porque hoje em dia, pra mim, a vida não é bela. E rir é o pior remédio.

Deixe um comentário

Arquivado em Texto